Desenvolva mais equilíbrio

Desenvolva mais equilíbrio

O pakshásana é uma técnica de equilíbrio em pé presente no acervo de técnicas corporais do Yôga Antigo.

O termo paksha significa asa de uma ave e a palavra ásana refere-se à técnica orgânica do Yôga propriamente dita. Neste caso, apenas pela tradução literal das palavras, não é possível identificar qual é a posição e, por isso, aprender com um instrutor ou professo é tão importante.

O ásana constitui-se em uma das oito partes de uma prática ortodoxa do Yôga Antigo, mais especificamente, a sexta parte da prática. Enquanto que no Yôga de Pátañjali, o ásana é o seu terceiro estágio. O ásana é composto por três fatores:

1. Procedimento orgânico

2. Respiração coordenada

3. Atitude interior, logo não se trata de técnica corporal exclusivamente.

Para maiores detalhes, consulte o Tratado de Yôga, do Comendador DeRose.

O pakshásana pode ser um ásana bastante forte, pois além de exigir a sua atenção plena na execução da técnica e permanência do equilíbrio, ainda será necessário aplicar força e, para variações mais adiantadas, precisará de flexibilidade. Para executar o Pakshásana, faça o seguinte:

  1. Mantenha o corpo inteiro alinhado e as pernas unidas

  2. Concentre-se em um ponto a sua frente

  3. Inspire elevando uma das pernas e segurando com a respectiva mão no joelho elevado, passe esta perna lateralmente, você ainda está com a perna flexionada

  4. Coluna ereta, perna de baixo estendida e o outro braço estendido lateralmente na altura do ombro

Pronto! Você acaba de realizar a variação mais simples do pakshásana. Treine muito essa técnica, por longas permanências, até que possa avançar. Quanto mais permanência você der, mais desafiadora será, pois o esforço para se manter na posição será maior, tanto físico, quanto mental.

Quando tiver treinado o suficiente a variação mais simples, chamada de sukha, comece com as variações mais avançadas. A seguir, vou relatar algumas variações para que você treinar e desafiar-se.

  1. Para a primeira variação, após treinar a mais básica, com o auxílio da mão, estenda a perna flexionada, buscando segurar no seu pé, ao segurar o pé, você estará na execução real do ásana, denominada rája;

  2. Tente realizar com os olhos fechados, variação supta;

  3. Tente a posição com ambos os braços estendidos, e a perna livre, variação nirahasta;

  4. Você pode ainda, enlaçar com os braços a sua perna elevada, neste caso, as mãos se encontram próximas ao glúteo, denominada baddha;

Para o pakshásana há inúmeras outras variações, tanto com a perna flexionada, quanto com a perna estendida o que dependerá da sua flexibilidade principalmente, como comentado anteriormente.

Em pouco tempo você dominará a versão mais simples desse ásana e continuará com muitos outros estímulos para continuar progredindo.